Saiba o que significam as cores e os formatos de seu cocô.

Seja rico ou pobre, doente ou são, esportista ou sedentário, quem é que não precisa ter aqueles minutos de “relaxamento” sentado no vaso sanitário de vez em quando?

Por Ranjelio 29/08/2017 - 20:51 hs
Foto: Ilustração

Quando você pensa em desigualdades sociais ou diferenças entre as pessoas, há pelos menos duas situações nas quais nenhuma distinção é suficientemente importante. A primeira delas é quando se está discutindo sobre qual time de futebol é melhor do que o outro, se tal resultado foi ou não justo ou se o juiz realmente deveria ter dado tal pênalti. A segunda ocasião em que somos todos iguais é no que se refere ao momento das necessidades fisiológicas sólidas.

Seja rico ou pobre, doente ou são, esportista ou sedentário, quem é que não precisa ter aqueles minutos de “relaxamento” sentado no vaso sanitário de vez em quando? Mas o fato é que as pessoas se tornam mais iguais em decorrência desse ato, mas o produto liberado nessa função de descarrego biológico certamente é diferente. E não apenas de um cidadão para outro, mas sim de uma mesma pessoa, durante as várias vezes que ela evacua.

Além disso, vale lembrar que o cocô é uma fonte riquíssima de assunto. Há quem goste de pagar por café proveniente das fezes de elefante, e alguns cientistas encontram torres de cocô com 2 metros de altura; na Coreia, pode-se fazer vinho a partir do excremento de crianças, e até na produção de energia o substrato da evacuação estomacal pode ser usado.

Apesar de tanta utilidade, quem é que nunca se questionou ao olhar para o produto final de sua obra, sobre as condições físicas da produção, incluindo cor, formato e até mesmo cheiro? Pois, seus problemas acabaram! Que tal conferir um apanhado de condições escatologicamente científicas sobre o cocô e descobrir se você está saudável ou não? Vamos aos quesitos.

Tons de cinza

Normalmente, o cocô é marrom por causa do da presença de estercobilina. No entanto, a falta dessa substância pode dar cara de argila ao produto de sua evacuação, sendo que isso pode significar que você está com algum problema no fígado, em seu pâncreas ou na vesícula biliar.

Cor amarela

Cocô amarelo é sinal de alerta. Essa coloração sinaliza que a gordura que o corpo deveria absorver, está sendo descartada pelo organismo. Em outras palavras, seu sistema digestivo está sendo sobrecarregado por uma dieta muito gordurosa e, por conseguinte, nada saudável. Além disso, o cheiro que fica no banheiro também deve ser muito pior do que o normal.

Cor vermelha

A principal causa de fezes avermelhadas é o consumo de alimentos dessa tonalidade, com destaque para a beterraba. No entanto, essa deve ser a cor mais perigosa que o seu cocô pode apresentar. Fezes continuamente rubras (sem a ingestão daqueles alimentos) é sinal de que seu tubo digestivo pode estar sangrando, sendo que vermelho vivo pode indicar fissuras anais hemorroidas.

Cor preta

Talvez a coloração acompanhada dos piores cheiros possíveis seja a preta. Fezes dessa cor podem indicar que você está com problemas de digestão, garganta ou mesmo no estômago. Vale dizer que quando você consome bastante vinho, seu excremento também adquire essa feição bem escura.

Cor verde

Se suas fezes apresentarem uma tonalidade esverdeada, você pode estar infectado por algum tipo de bactéria... Ou isso apenas significa que você é vegetariano e sua alimentação tem sido baseada demasiadamente em vegetais folhosos.

Formato cilíndrico

Apesar de esse ser o formato mais comum (e ideal) para as pessoas, não é sempre que vemos nosso cocô como um tubinho. A característica cilíndrica é proveniente do formato do intestino, e a textura (bem como a quantidade de vezes que cada pessoa vai ao banheiro) depende do tipo de nutrientes presentes na alimentação.

Bolinhas

Quem tem prisão de ventre (o famoso “intestino preso”) sabe exatamente o que é isso. O fenômeno que atinge em torno de 15% das pessoas indica que o cocô levou mais tempo do que o ideal para chegar até o reto, e isso fez com que ele perdesse mais água do que o ideal no caminho. Por essa razão, as fezes ressecadas podem machucar na saída, além de indicar que um acréscimo no consumo de fibras é necessário.

Forma líquida, diarreia ou poça

Essa liquidez da evacuação pode ser causada por bactérias, infecções (ou irritação) no intestino ou por ingestão de alimentos muito pesados aos quais o corpo não está acostumado. Biologicamente, a falta de consistência do material é devida ao impedimento na absorção da água causada por uma agressão à mucosa intestinal.

Enfim... Qual é seu tipo preferido de côco? Brincadeiras à parte, vale a pena ficar atento aos excrementos de seu corpo para saber se a sua saúde está em dia!

FONTE: megacurioso.com.br