“Não é hora de relaxar”: infectologista destaca importância da vacinação e reforça medidas de proteção contra influenza e covid-19.

Diante do aumento dos casos de coinfecção, médica explica quando é o momento de procurar ajuda para evitar complicações à saúde.

Por Ranjelio 12/01/2022 - 12:22 hs
Foto: Assessoria

Gripe, resfriado, covid-19, influenza. Com a pandemia do novo coronavírus e aumento de casos de síndromes gripais, essas palavras passaram a soar comum para a maioria das pessoas. Recentemente, outro vocábulo também foi incorporado no vocabulário dos brasileiros: ‘flurona’ – termo utilizado para descrever o caso de pessoas que apresentam covid-19 e influenza ao mesmo tempo. 

Embora o assunto chame atenção e existam várias perguntas sobre o real significado da infecção simultânea, por outro, há certeza das medidas de proteção contra essas doenças, independentemente de elas aparecerem juntas ou separadas. 

Medidas de proteção contra a covid-19 também evitam a gripe

A infectologista do Sistema Hapvida, Dra. Silvia Fonseca, dá dicas para evitar o contágio. “Manter o distanciamento social e evitar aglomerações, usar álcool gel e lavar as mãos frequentemente e, claro, não se esquecer da máscara, que deve ser trocada a cada 2 ou 3 horas”, destaca. 

Também não dá para se esquecer da vacinação. “No caso da covid-19 é essencial completar o esquema vacinal, inclusive com a dose de reforço, responsável por ampliar a resposta imune, aumentado a quantidade de anticorpos circulantes no organismo”, complementa a médica. 

Crianças pedem cuidados especiais

A especialista também chama atenção para a importância da imunização em crianças, não apenas para a covid-19, como, também, para as outras doenças para as quais já existem vacinas, tanto na rede pública quanto na rede privada. 

“É primordial manter a carteirinha de vacinação da criança atualizada. Lembrando que as crianças estão mais suscetíveis a ter quadros mais graves de influenza, e o quadro clínico pode evoluir de maneira mais preocupante para uma otite ou até pneumonia”, diz a médica do Sistema Hapvida. 

Analisando os sintomas: quando procurar ajuda?

Em termos de manifestação clínica, tanto o vírus da influenza, quanto o coronavírus, podem provocar sintomas como dor de garganta, dor no corpo, espirro, tosse e mal estar. A teleconsulta é uma importante alternativa de atendimento e evitar exposição. Sempre que necessário, acesse: www.hapvida.com.br/teleconsulta.

 “Se o paciente apresentar esses sintomas, a recomendação é que ele realize o tratamento em casa e evite contato com outras pessoas. Em casos de faltar de ar, cansaço e febre persistente, a orientação é procurar uma unidade de saúde. Não é hora de relaxar. O cuidado protege você, sua família e todos nós”, conclui.