Presidida por arapiraquense, Federação Nacional celebra o dia do pastor evangélico neste domingo (14).

"Ser pastor não é apenas ser uma pessoa fortemente ligada à religião, mas viver em função dela”, afirma Bispo Marcelo Ramos.

Por Ranjelio 14/06/2020 - 01:07 hs
Foto: Assessoria

Neste domingo, dia 14 de junho, será celebrado o Dia Nacional do Pastor Evangélico, conforme o projeto de Lei nº 8.126, de 2017, aprovado pelo Congresso Nacional. De acordo com a lei, a data é comemorada no segundo domingo do mês de junho. Para o Bispo Marcelo Ramos, presidente nacional da FENAPOB, Federação Nacional de Pastores, "ser pastor não é apenas ser uma pessoa fortemente ligada à religião, mas ser alguém que escolheu viver em função dela. A beleza desse ato é tão grande que só poderia ser uma fabulosa obra de Deus”.

Em virtude da pandemia de Covid 19, não haverá nenhuma celebração nos templos em Arapiraca ou em outras cidades do País. “Não iremos fazer nenhum evento, a exemplo do que realizamos no ano passado (2019)”, ressaltou o Bispo Marcelo Ramos. Mas ressaltou a importância da data e lembrou que a Bíblia apresenta a importância dos pastores e atividades que desempenham, como o Apóstolo Paulo escreveu: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.” (Hebreus 13:7)

De acordo com o IBGE, até 2010, o número de evangélicos no Brasil havia aumentado 61% ao longo de dez anos. E faz uma referência a I Timóteo 3:1-4, para uma reflexão “se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não espancador, mas moderado, inimigo de contendas, não ganancioso; que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito.”